Auto-estima é o quanto as pessoas se valorizam e o quão importante elas acreditam que são para elas mesmas e no mundo. Uma auto-estima positiva é quando as pessoas se sentem bem consigo mesmas. E nas crianças, como funciona a auto-estima? Por que é tão importante? Aprenda mais sobre auto-estima e como ajudar seu filho a construí-la.

Por que uma alta auto-estima é importante para crianças

Todas as crianças são capazes, mas as que têm alta auto-estima se sentem e se percebem confiantes e capazes, valorizam suas habilidades e a elas mesmas. Se orgulham das coisas que podem fazer e querem dar o seu melhor.

Quando crianças se sentem confiantes e seguras sobre quem são, é mais provável que tenham uma mentalidade sempre em crescimento. Isso significa que elas podem se motivar a enfrentar novos desafios, lidar e aprender com os erros, se defender e pedir ajuda quando precisam, com mais facilidade.

Como crianças desenvolvem auto-estima

Crianças desenvolvem auto-estima trabalhando com um objetivo e ver o seu trabalho ser reconhecido. Alcançar objetivos comprova para elas mesmas que têm o que é preciso para enfrentar novos desafios. Seu sucesso faz com que se sintam bem com elas mesmas, e aprendem que não há problema em falhar. Quando as crianças se saem bem em alguma coisa e o que fazem é reconhecido por pessoas próximas que elas gostam, também se sentem bem. Como tempo, elas continuam a construir uma boa auto-estima.

Quando crianças têm uma boa auto-estima, elas:

  • Se sentem respeitadas
  • São resilientes e sentem orgulho mesmo quando erram
  • Têm um sentimento de controle sobre as atividades e eventos das suas vidas
  • Agem de forma independente
  • Se responsabilizam pelas suas ações
  • São confortáveis e seguras na construção de relacionamentos
  • Têm coragem para tomar decisões, mesmo que sob pressão.

O pedágio da baixa auto-estima em crianças

Muitas crianças têm problemas em construir ou manter uma auto-estima elevada por muitas razões. Uma razão muito comum é quando a criança tem problemas na escola.

Se a criança falha na escola, seja repetindo de ano ou tirando notas baixas, provavelmente não recebe muitos comentários positivos e reconhecimento dos professores ou colegas de classe. Geralmente, o feedback que recebem é negativo, já que constantemente ouvem sobre o que não fizeram bem, ou que não foi suficiente.

Em alguns casos, as crianças podem receber feedbacks positivos que não são sinceros. Isso pode fazer com que não confiem nos adultos que supostamente as ajudam, ou a desconfiar de outras crianças que seriam suas amigas.

Como resultado, elas têm menos certeza de si mesmas e de suas habilidades. Elas se sentem menos motivadas a tentar coisas difíceis e podem ter dificuldade em lidar com erros e problemas. No fundo, elas podem não acreditar que são dignas de sucesso ou de algo bom.

Crianças que têm baixa auto-estima podem:

  • Se sentir frustrada, com raiva, ansiosa ou triste;
  • Perder interesse em aprender
  • Ter dificuldade em fazer e manter amigos
  • Ser um alvo mais fácil de bullying ou intimidação
  • Ser excluído ou ceder à pressão de colegas
  • Desenvolver maneiras destrutivas de lidar com desafios, como desistir, evitar, não levar a sério ou ficar em negação
  • Crianças com baixa auto-estima também podem ter dificuldades em desenvolver habilidades para se defenderem.

Como ajudar seus filhos a desenvolverem auto-estima

Construir uma boa auto-estima é possível. Crianças podem aprender e melhorar a maneira como se veem e se valorizam. Para isso, ter pais ou responsáveis realistas — mas não super protetores — é fundamental. Pedir aos professores que sejam realistas e solidários também é importante.

É importante elogiar seus filhos de maneiras que desenvolvam a auto-estima e guiá-los para que reconheçam e se orgulhem de seus esforços e realizações. Elogie os esforços das crianças, e não tudo o que elas fazem. Crianças sabem quando o que fizeram ou bem-sucedido e quando não foi. Quando seus filhos terminam uma tarefa, pergunte:

  • O que teria que ter acontecido para ter dado certo?
  • O que você não conseguiu?” “Por que você não conseguiu?
  • Que legal, você conseguiu! O que você fez que ajudou a alcançar seus objetivos?

A amizade é uma parte importante na construção de uma auto-estima elevada. Isso não significa que seus filhos precisam ter milhares de amigos ou ser popular. Ter um amigo que aceite seu filho ou filha por quem ele/ela é, já faz toda a diferença. Ajude seus filhos a descobrirem o que eles gostam de fazer, e a desenvolver as habilidades relacionadas.

:: Leia também: A quantidade de carinho que bebês recebem pode afetar o DNA ::

Como elogiar seus filhos de maneiras que desenvolvam uma boa auto-estima

Elogiar crianças (de forma genuína) é importante, mas é ainda mais significativo que crianças aprendam a reconhecer e apreciar seus próprios feitos. O que você diz e como diz pode ajudar as crianças a reconhecer coisas das quais dão orgulho para elas mesmas. Aqui estão algumas sugestões:

Situação: O projeto que você está analisando é bom, mas sabe que a criança poderia ter se esforçado mais.Tente dizer: “Esse é um bom começo.” ou “Como você gostaria que ele ficasse?”A conexão de auto-elogio: Essa abordagem ajuda a criança a refletir se o seu trabalho está de acordo com as suas expectativas. Isso também pede que considerem o quanto eles trabalharam e se estão orgulhosos do esforço que fazem.

Situação: Seu filho/a fez algo bem, mas está subestimando sucesso do seu esforço.Tente dizer: “Você pode achar que não é grande coisa, mas foi gentil da sua parte defender seu amigo” ou “Parece que você está orgulhoso! O que mais faz você se sentir assim?”A conexão de auto-elogio: Essa abordagem aponta o que você acha que merece elogios e o que você valoriza. Também pede às crianças que pensem sobre o que têm orgulho e o que valorizam.

Situação: Você sabe que seu filho/a trabalhou duro, mas não atingiu a meta estipulada.Tente dizer: “Lamento que você não tenha atingido seu objetivo. Você chegou perto! Você acha que consegue da próxima vez? O que acha de pedir ajuda se sentir necessidade?” ou “É bom que tenha gostado dos livros que leu, mesmo que a leitura possa ser difícil para você.”A conexão de auto-elogio: Essa abordagem pede às crianças que reflitam sobre o que funcionou, e não apenas sobre o que precisa ser aprimorado. Também ajuda as crianças a aprenderem a fazerem o que gostam, mas não são ótimas.

Situação: Seu filho/a gabaritou numa prova – e sabe disso.Tente dizer: “Eu adoraria saber como você conseguiu! Quais estratégias você usou?” ou “Posso ver que você está animado/a! Você trabalhou muito”.A conexão de auto-elogio: Essa abordagem lembra as crianças que fazer algo de forma consciente exige algum esforço, mesmo que não duvidassem que poderiam fazê-lo. Essa abordagem pede às crianças que percebam que o que fizeram levou ao sucesso, e ajuda a reconhecer e se orgulhar do resultado.

Créditos: Understood