A figura paterna está mudando e já não é mais vista apenas como o provedor da família. As tarefas domésticas são cada vez mais divididas e as responsabilidades dos pais, também. Hoje em dia, entende-se que a mãe não é a única responsável pela criação e desenvolvimento de uma criança. A figura paterna tem tanta importância quanto a materna, e uma boa relação entre pai (ou padrasto, avô, tio ou outra figura paterna) e filho têm inúmeros efeitos positivos na vida da criança.

A mãe é mais presente nos primeiros anos de vida da criança, afinal, é ela quem amamenta. Quando bebê, as crianças vêem elas e a mãe como uma coisa só, e ao longo do tempo vão percebendo a separação. O pai faz parte desse processo. É a figura paterna que mostra o mundo para a criança e a motiva a explorá-lo, ainda que inconscientemente.

Segundo o artigo A importância da figura paterna para o desenvolvimento infantil, publicado na Revista Brasileira de Psicopedagogia, “o papel do pai no desenvolvimento da criança e a interação entre pai e filho é um dos fatores decisivos para o desenvolvimento cognitivo e social, facilitando a capacidade de aprendizagem e a integração da criança na comunidade.” O artigo ainda traz que a ligação entre pai e filho reflete na vida adulta, nas construções psicoafetivas e repercutindo nas relações sociais.

Um bom relacionamento entre a criança e a figura paterna também reflete no modo em que as crianças agem quando se deparam com desafios, e tendem a ser menos agressivas.

A psicóloga Márcia Orsi, em entrevista para a revista Pais&Filhos, explica que “pesquisas demonstram que a figura paterna possibilita que à criança a entrada no contato social de forma mais segura.” Assim como a mãe, a figura do pai também é imprescindível para estabelecer limites, um importante fator que faz parte da formação de caráter da criança.

Crianças precisam de atenção de qualidade do pai ou da figura paterna. Meninas e meninos precisam de amor, carinho e afeto. Por isso, ter um tempo do pai ou da figura paterna a sós com o/a filho/a é super saudável. Ler histórias, ir a parques, cinema, ensinar a andar de bicicleta e etc são atividades que constroem memórias e ajudam a criança a se ver no mundo.