“Quando devo apresentar a tecnologia para as crianças?” Como uma empresa de tecnologia voltada para o público infantil, ouvimos essa pergunta com muita frequência de amigos, familiares e pessoas próximas, sejam pais, tios, avós ou pessoas que planejam ter filhos algum dia.

A nossa primeira dica é: não dê tablet e celular antes da criança completar dois anos de idade. A exposição das telas a crianças menores de dois anos não traz benefícios e pode acarretar atraso em funções cognitivas. Vale lembrar que a televisão também é tela e deve seguir os mesmos cuidados do celular e tablet!

Se a criança tem mais de três anos e já pede pelas telas, fizemos um post sobre os limites de tempo de exposição das telas.

Muitos adultos ficam preocupados quando seus filhos, netos, sobrinhos ou crianças próximas não se interessam pelas telas, não pedem para mexer no celular ou não são muito “da televisão”. Fique tranquilo: ele ou ela não vai ficar atrás dos coleguinhas no quesito tecnologia.

A tecnologia avança cada vez mais rápido e crianças que aprenderam a mexer em celulares nos anos 2010 terão que reaprender a mexer nos de 2020, que já terá uma tecnologia totalmente diferente. A tecnologia foi feita para ser intuitiva e fácil de usar. Se sua filha ou filho se interessar aos 12 anos de idade, pode ter certeza que irá aprender a pilotar a máquina bem rápido e com facilidade. O mesmo vale para crianças de 5, 7, ou 10 anos.

Quanto mais tarde tiver contato com celulares e tecnologia, mais protegida a criança estará. Sabemos que há muitos benefícios: muitos apps que visam o desenvolvimento da criança estão surgindo e são verdadeiros parques de diversões para a criatividade dos pequenos, mas não podemos ignorar o fato de que a tela seduz. Se nós, adultos, já perdemos a noção do tempo quando estamos no celular, imagine uma criança.

Nosso posicionamento é esse: quanto mais a criança quiser esperar pra começar com a “vida tecnológica”, mais benefícios da tecnologia ela terá. O que não significa que precisamos polarizar. Se a criança demonstrar interesse ainda nova, não tem problema deixá-la usar se utilizar com responsabilidade, com a participação e supervisão de adultos, com limite de tempo e consumindo conteúdos de qualidade e indicados para a sua idade.